Hepatite C: saiba como se prevenir dessa doença silenciosa

AG027800 2-min

De acordo com dados do Ministério da Saúde, estima-se que, no Brasil, cerca de 1 milhão de pessoas tenham tido contato com o vírus da Hepatite C. Além disso, calcula-se que 675 mil tenham o vírus circulante no sangue. No mundo, a estimativa da OMS é de que aproximadamente 71 milhões de pessoas estejam infectadas e que cerca de 400 mil pessoas vão a óbito todos os anos devido a complicações desta doença.
O termo “hepatite”, de origem grega, significa inflamação no fígado. Trata-se de uma doença assintomática e sua progressão pode levar décadas até se tornar grave. No início, os sintomas da Hepatite C não são claros, podendo-se assemelhar aos de uma gripe comum. Em alguns casos, quando já está em fase crônica, o paciente pode apresentar febre, fadiga, falta de apetite, enjoo, entres outros sintomas.
Todavia, apesar da sua gravidade, especialistas acreditam que até 2030 será possível conter a Hepatite C por todo o mundo. Seu tratamento, até recentemente, exigia injeções semanais e medicamentos orais que, muitas vezes, resultavam em efeitos colaterais inaceitáveis. Atualmente, essa situação está mudando e a Hepatite C tem cura em 90% dos casos. Confira abaixo informações que podem ajudar a se prevenir e tratar essa doença silenciosa.

Transmissão da Hepatite C

A Hepatite C é transmitida, principalmente, através de via sanguínea. Apenas uma pequena quantidade de sangue contaminado já é suficiente para transmitir a doença. Dessa forma, a transmissão pode acontecer através de transfusão sanguínea e da utilização de objetos que tenham tido contato com sangue, como seringas e itens de higiene pessoal, por exemplo. Outras formas de transmissão, menos frequentes, são:

  • Por via sexual: pouco frequente. A Hepatite C não é considerada uma doença sexualmente transmissível (DST).
  • Pela saliva: é pouco provável a transmissão através do beijo, a não ser que existam feridas na boca.
  • Durante a gestação: a probabilidade da mãe infectar o filho durante a gravidez é de cerca de 6%.

Quanto mais cedo for detectada a Hepatite C, maiores as chances de cura. Atualmente, a doença é uma das principais responsáveis pela insuficiência hepática, cirrose, câncer de fígado e pela necessidade de transplante do órgão.

Diagnóstico da Hepatite C

O Ministério da Saúde recomenda que o exame para o diagnóstico laboratorial da Hepatite C seja realizado em duas etapas:

Primeira Etapa

Na primeira etapa do diagnóstico da Hepatite C, é realizada a pesquisa de anticorpos para o vírus da doença (HCV), através do exame de sangue Anti-HCV. Este teste indica que houve um contato prévio com o vírus, mas não pode determinar se a infecção foi resolvida naturalmente ou se está ativa. Assim, em caso de resultado positivo, deve-se realizar uma segunda etapa para a confirmação do diagnóstico.

Segunda Etapa

Na segunda etapa, também por análise sanguínea, é avaliada a presença do RNA viral, ou seja, a carga viral do HCV. Caso esse teste molecular também tenha resultado positivo, é confirmado o diagnóstico de Hepatite C.

Uma vez diagnosticada a doença, o médico pode solicitar um outro exame, a Genotipagem do HCV. Este teste tem como objetivo complementar a avaliação clínico-laboratorial, identificando os diversos genótipos, subgenótipos e populações mistas do HCV para contribuir com a estratégia para o tratamento da hepatite crônica.

No Labo, realizamos o serviço de análises clínicas para o diagnóstico da Hepatite C com química seca. O método, que dispensa a utilização de água na análise clínica, é  considerado um dos mais modernos no mundo e oferece maior precisão nos resultados do que a prática tradicional. Ao reduzir a margem de erro, diminui também a necessidade de repetição de exames.

Sintomas da Doença

Os sintomas da Hepatite C não são claros. Apenas 25% a 30% dos infectados apresentam, na fase aguda, sintomas de doença. Por isso, é conhecida como uma doença silenciosa. De acordo com a sua progressão, os sintomas da Hepatite C podem incluir:

  • Sangramentos
  • Feridas que surgem facilmente
  • Fadiga
  • Febre
  • Perda de apetite e peso
  • Icterícia (pele e olhos com coloração amarelada)
  • Urina de cor escura
  • Comichão na pele
  • Ascite (abdome inchado)
  • Inchaço nas pernas
  • Encefalopatia Hepática (confusão, sonolência e fala arrastada)
  • Angiomas de Aranha (presença de vasos sanguíneos semelhantes a aranhas na pele)

Como se prevenir da Hepatite C

Ainda não existe uma vacina para a prevenção da Hepatite C. Dessa forma, a adoção de medidas comportamentais preventivas são importantes. Entre elas, estão:

  • Não compartilhar objetos injetáveis, nem de higiene pessoal (escova de dente, lâminas de barbear, alicates de unhas, lixas, espátulas) ou outros instrumentos que possam ter contato com sangue. O VHC pode chegar a sobreviver quatro dias fora do corpo humano;
  • Na hora de fazer algum exame, colocar piercing ou fazer uma tatuagem, verificar se o profissional utiliza objetos de trabalho descartáveis ou que estão devidamente esterilizados;
  • Praticar sexo seguro, com uso de preservativos;
  • Antes de engravidar, é recomendável realizar o exame para identificar se a gestante tem Hepatite C

Devo fazer o exame de Hepatite C?

Muitas pessoas são portadoras do vírus da Hepatite C e não sabem. Como a doença, em muitos casos, não apresenta sintomas, isso aumenta os riscos de se tornar crônica, causando danos mais graves ao fígado, como cirrose e câncer. Por isso, o Ministério da Saúde recomenda que ir ao médico regularmente e fazer os exames de rotina, que detectam as hepatites.
De acordo com o Ministério, este cuidado é ainda mais importante para pessoas com mais de 40 anos e que podem ter se exposto ao vírus da Hepatite C no passado.
Conforme o Hospital Sírio Libanês, recomenda-se realizar o exame se você:

  • Fez tatuagens ou piercings, especialmente aquelas em ambientes não regulamentados;
  • Possui antecedente de exposição a material biológico contaminado (agulhas, alicates de unha, etc.);
  • Conta com um passado de vício em álcool ou drogas;
  • Tem algum parceiro sexual que possua Hepatite C;
  • Se a sua mãe possuía o vírus quando deu à luz ou amamentou.

Reconhecer os portadores da Hepatite C já é uma urgência confirmada até mesmo pelo Conselho Federal de Medicina, que se posicionou ao recomendar que qualquer profissional da saúde, não importa a especialidade, oriente os pacientes sobre os exames para Hepatite C.
Caso você tenha dúvidas sobre o exame para diagnóstico de Hepatite C, entre em contato conosco. Nossa equipe pode lhe ajudar!

Article by admin

Leave your comment